19 agosto 2008

A cada segundo da minha existência




Querer falar-te em gestos, mais do que em palavras,

do arrufar infatigável da saudade no meu peito

em dias uns iguais aos outros, de monotonia imperturbável,

nos lugares a sós onde o teu toque ausente ocupa todos os meus sentidos.

Porque nestas horas em que não te falo, o meu pensamento voa até ti

como as ondas na constância nítida das marés,

e toda eu sou sal por dentro,

em amor e nostalgia.



photo: haleh bryan


10 comentários:

aquilária disse...

que este sal simbolize a aliança indestrutível, não a esterilidade.

um abraço.

Girstie disse...

Mas volta mais vezes por aqui com palavras bonitas como estas :)

AnaMar disse...

Sal de mar, de ondas sempre diferentes, sal de lágrimas, sal de VIDA.

Bj

Gasolina disse...

Podem passar marés, luas, estações. As palavras que acho aqui não murcham, não se extinguem.

Um beijo.
Feliz.

O Profeta disse...

A Lua sangra no celeste
Aprisionada está a razão
Olhos sem a virtude da luz
Uma fria pedra no coração

Um banco de jardim
É leito do rei da sarjeta
Almofada de encardido cartão
Acomoda esta carcaça inquieta


Convido-te a conhecer um Rei mendigo


Mágico beijo

aquilária disse...

espero que sejam bons, os motivos para esta longa ausencia. de qualquer modo, tenho ouvido dizer que novembro é um bom mês para regressos... continuarei a passar por aqui.

abraço

Gasolina disse...

Desejos de um Natal soberbo. Com tudo o que é teu por direito e inspiração.

Um beijo

delusions disse...

Querer falar-te em gestos, mais do que em palavras...



...



Bom ano*

K disse...

Os gestos sentidos nunca se repetem na imensidão dos dias...

Pedro Bom disse...

Fugiste?